Vice-presidente da ABERSSESC prestigia solenidade de lançamento do aplicativo PMSC Cidadão

 

1/8

 

O vice-presidente da ABERSSSESC, subtenente Cléber de Paulo Irmão, representou a Associação e prestigiou a solenidade de lançamento do aplicativo PMSC Cidadão.

 

O aplicativo facilitará a interação do cidadão catarinense na solicitação de atendimento, já que o usuário poderá enviar vídeos, fotos e áudios, que ajudarão na geração de ocorrências.

 

O PMSC Cidadão visa também promover, além das denúncias de crimes e contravenções de forma anônima, as ações de proteção à mulher vítima de violência doméstica e familiar no âmbito do Programa Rede Catarina de Proteção à Mulher. Segundo chefe do setor de tecnologia da PMSC, o Inova, major Joamir Rogério Campos, “Poderão ser realizadas denúncias anônimas de violência doméstica, além de solicitação de visitas preventivas por uma guarnição especializada”. Desta forma, será possível acompanhar o tramite e visualizar medidas protetivas de urgência (com integração ao sistema do Poder Judiciário) além da disponibilização do Botão de Pânico para as mulheres com medida protetiva que terão atendimento prioritário.

 

No momento seis crimes poderão ser denunciados pelo aplicativo: violência doméstica contra a mulher, roubo e furto, lesão corporal, averiguação de pessoa em atitude suspeita; atrito verbal e discussão e perturbação de sossego. Posteriormente, até o mês de maio de 2020, o aplicativo também terá outras funcionalidades que o complementarão nesse atendimento direto ao cidadão, como: programa Rede de Vizinhos, programa Rede de Segurança Escolar, programa Rede de Segurança Rural, Proerd, programa SOS Desaparecidos, programa Futebol Seguro, além de outros serviços.

 

 

Como funciona o PMSC Cidadão

 

 

O PMSC Cidadão permitirá ao usuário a possibilidade de acionar a Polícia Militar de forma mais rápida e efetiva, com envio dos dados do solicitante, da localização exata da ocorrência, fotos, vídeos e áudios sobre o incidente. Isso permitirá mais agilidade na comunicação e um maior detalhamento da ocorrência para auxiliar o policial no momento do atendimento.

 

Apenas durante o atendimento de uma emergência gerada pelo próprio cidadão é que ele será identificado e o seu dispositivo passará a ser rastreado pela Polícia Militar, gerando mais segurança e rapidez e evitando a realização de trotes. Como não é necessário falar com um atendente, apenas registrar ou enviar os dados para a Polícia Militar, permitindo assim que pessoas com deficiência auditiva e palatal possam utilizar perfeitamente o aplicativo PMSC Cidadão. A guarnição policial não poderá ser rastreada. O cidadão não terá acesso à localização da guarnição policial. Ele receberá apenas informações do status do atendimento, ou seja, se a ocorrência foi gerada e se uma guarnição foi encaminhada para atendimento.

 

 

Com informações do Centro de Comunicação Social da PMSC

Fotos: Rafaela Dornbusch

Please reload

Destaques

Projeto de Lei n.º 1.645 é aprovado pelo Senado Federal

05/12/2019

1/10
Please reload

Últimas Notícias