Carta aberta: reposição inflacionária e reajuste salarial

21/10/2019

 

A ABERSSESC, desde o início do ano, vem discutindo com o Governo do Estado a reposição inflacionária e reajuste salarial para os militares estaduais.

 

Desde 2018, a ABERSSESC está realizando reuniões com outras entidades representativas de militares estaduais para, de forma unida e coesa, pressionar o Governo do Estado a ouvir seus pleitos. A Diretoria Executiva da ABERSSESC sempre procurou esta união entre as Associações, que foram intensificadas este ano.

 

Ao longo de 2019, grandes progressos foram realizados. Além das entidades de classes dos militares, engrossou o time as Associações Representativas da Polícia Civil e do Instituto Geral de Perícia. Formando assim, um colegiado de 13 instituições.  As Associações de classe reuniram-se com o governador e comandantes-gerais da Polícia e do Corpo de Bombeiros Militar para apresentar a necessidade do reajuste salarial e da reposição inflacionária.

 

Considerando o entendimento entre as associações nos vários encontros realizados para tratarmos da atual pauta, é de conhecimento que as associações deveriam estar envolvidas em todas as etapas da negociação salarial, a ABERSSESC considerou a posição do Governo equivocada, externando esta posição por meio de mensagens e pela mídia digital.

 

Diante deste cenário, as Associações de Militares Estaduais foram convocadas pelo Executivo Estadual para uma reunião na Secretaria de Administração, realizada no dia 15 de outubro às 15h. No referido encontro, o secretário e seus assessores reafirmaram que qualquer tratativa referente a salário irá envolver os dirigentes dos órgãos da Segurança Pública, com espaço para a manifestação das entidades representativas de classe, a fim de facilitar a construção do projeto de lei e sua aprovação na Assembleia Legislativa.

 

Para o Governo, está claro a defasagem salarial e vem analisando a melhor forma para conceder a reposição inflacionária, mas que a proposta só será apresentada após o fim da tramitação da Reforma da Previdência, que acontece no Congresso Nacional, já que há necessidade de se avaliar o impacto na previdência dos servidores civis e no sistema de proteção social dos militares. Além disso, afirmou que sua equipe já vem analisando como a tabela do subsídio pode ser corrigida, incluindo o fim da IRESA, a reposição inflacionária, a adequação das correções de contribuição previdenciária para os civis e de contribuição para pensão dos militares estaduais.

 

A reunião foi satisfatória, e o presidente da ABERSSESC, subtenente Flavio Hamann, cobrou a apresentação de uma pauta concreta. Precisamos progredir, e entendemos que somente unidos alcançaremos nossos objetivos. Não podemos trabalhar em diferentes frentes, visto que o atual Governo está nos recebendo e entendendo que nossos pleitos são justos, necessários e prioritários.

 

A ABERSSESC, através de sua Diretoria Executiva, manterá o diálogo aberto e estará sempre à frente de qualquer negociação no que diz respeito a defender os interesses de seus associados e toda a categoria de militares. Entendemos que não é hora de dividir, mais sim de mantermos a união entre todos. 

 

Juntos somos mais fortes!

 

Flavio Hamann

Presidente da ABERSSESC

Please reload

Destaques

Conheça os contemplados para as cabanas durante a Temporada de Verão

10/11/2019

1/10
Please reload

Últimas Notícias
Please reload