Solidariedade e compaixão do sócio sargento Gilberto Soares Prestes mudaram a vida de um egípcio que vivia nas ruas

 

1/4

 

O que poderia ser mais uma ocorrência rotineira na vida de um policial militar tornou-se uma história de amizade, compaixão e solidariedade. No final de 2017, o 1º sargento Gilberto Soares Prestes, do 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM), não imaginaria que poderia fazer a diferença e mudar a vida de um egípcio, que estava vivendo como morador de rua em Florianópolis. Ele ajudou que Ahmed Farid retornasse para sua terra natal e reencontrasse seus familiares. Na última segunda-feira (14), o egípcio embarcou no Aeroporto Internacional Hercílio Luz em direção ao Rio de Janeiro, onde permanece no Consulado, até que seja possível regularizar toda a documentação necessária para seu retorno ao Egito.

 

Enquanto atendia a ocorrência, o sargento percebeu que um dos envolvidos era estrangeiro e ficou intrigado com a história contada por ele. "Não era um simples mendigo. Tinha algo diferente. Além disso, vi nele algo semelhante com o meu filho, falecido há 11 anos. Possuía a mesma idade, 33 anos. E até a data de aniversário era próxima", comentou o policial.

 

Ahmed contou ao sargento que chegou ao Brasil em 2013, ao lado da esposa e duas filhas, quando tentou se manter por aqui, trabalhando com “churrasco grego”, na praia de Canasvieiras, no Norte da Ilha. Infelizmente o negócio não prosperou e seus planos acabaram tomando outro rumo. Antes de falir, ele resolveu mandar a esposa e as filhas de volta ao Egito.

 

Mesmo formado em Comércio Exterior, falando sete idiomas e morando longe da família, o estrangeiro acabou caindo no mundo das drogas e passou a viver nas ruas, até encontrar o sargento Soares, que resolveu escutar sua história, lhe estendeu a mão e mudou o seu destino.

 

Em seu sistema havia antecedentes por ser usuário de drogas. Mas, o policial militar quis saber mais e perguntou a ele se havia interesse em rever a família, voltar para o Egito e sair dessa vida. “Quando ele disse que sim, já pensei no contato com a Embaixada. Depois começamos os contatos com o Consulado”, lembra. “O Google Tradutor foi fundamental no contato posterior, com os familiares dele”, completou.

 

E esses contatos, com os familiares, passaram a ser mais frequentes e a Embaixada acabou enviando a passagem de Ahmed para o email do policial. “Graças a Deus conseguimos resolver essa história. Uma história triste, mas com um final feliz”, comemorou o sargento, que completou: “Maio está se tornando um grande mês para mim. Fui condecorado com a Medalha de Mérito Pessoal, promovido e ainda pude ajudar uma pessoa que apenas queria uma oportunidade de voltar para casa e rever sua família”, finalizou.

 

Fotos: Betina Humeres / Diário Catarinense

Please reload

Destaques

Representantes de oito entidades representativas dos militares estaduais buscam soluções para a reposição salarial/inflacionária junto aos comandantes...

24/01/2020

1/10
Please reload

Últimas Notícias