Diretor social e cultural representa ABERSSESC na solenidade de homenagem aos mortos em serviço da PMSC

1/16

 

 

O diretor social e cultural da ABERSSESC, subtenente Edison Linhares Júnior, prestigiou, na manhã desta quarta-feira (2) a solenidade em homenagem aos policiais militares mortos em serviço. A cerimônia faz parte das comemorações dos 183 anos de criação da Polícia Militar de Santa Catarina e aconteceu no bolsão de estacionamento do monumento ao Sesquicentenário da PMSC, localizado na avenida Beiramar Norte, em Florianópolis.

 

O evento contou com a presença do secretário de Estado da Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior; do comandante-geral da PMSC, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior; do subcomandante-geral e do chefe do Estado-Maior, coronéis Cláudio Roberto Koglin e Giovanni Cardoso Pacheco, respectivamente; autoridades, policiais militares e familiares. A solenidade tem como objetivo homenagear os policiais militares que, com o comprometimento da própria vida, ergueram e continuam a sustentar as colunas da corporação. 

 

Durante a cerimônia foi entregue a Medalha Cruz de Bravura Policial Militar a policiais militares que ao longo dos últimos 20 foram promovidos por ato de bravura dentro de Corporação. Os 2º sargentos, Gilberto Soares e Fabiana Rosa, associados da ABERSSESC, receberam a homenagem. Soares foi promovido em 2007, por em 1999, ter resgatado duas pessoas vítimas de desmoronamento de terra na Lagoa do Peri. A sargento Rosa, que foi a primeira policial militar feminina no Estado a ser promovida por ato de bravura convenceu uma jovem de 16 anos a não cometer suicídio. A menina estava prestes a se jogar de uma das pontes da Capital.

 

“São esses policiais militares que muito nos orgulham. Dentro da Corporação temos diversos agentes que, com o risco da própria vida, ajudam aqueles que mais necessitam”, parabenizou o subtenente Linhares.

 

Os nomes dos nove policiais militares que perderam a vida em serviço ou que foram vítimas da criminalidade apenas pela profissão que escolheram foram lidos. A cada nome, foi solto um balão de gás em formato de estrela. Ao final da leitura, teve o toque de silêncio e o pelotão de cadetes executou a salva de três tiros.

 

O capelão da Polícia Militar, tenente-coronel Valdemar Groh, também falou “in memorian” aos policiais militares e acalentou o coração de quem se fez presente na cerimônia. “Lembrem-se sempre: toda partida provoca lágrimas, mas a alegria do reencontro é incomparável à tristeza da partida”.

 

O comandante-geral da PMSC, coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior e o secretário de Estado da Segurança Pública, Alceu de Oliveira Pinto Júnior, depositaram uma coroa de flores aos pés do monumento ao Sesquicentenário da PMSC.

 

“Essa solenidade é uma pequena homenagem a tudo que estes policiais representaram para a Corporação. Eles deram a vida pela segurança da sociedade catarinense. Todos nós recenseamos e agradecemos a estes bravos homens que honram a farda que um dia vestiram”, disse o subtenente Edison Linhares Júnior.


Fotos: Rafaela Dornbusch

Please reload

Destaques

Representantes de oito entidades representativas dos militares estaduais buscam soluções para a reposição salarial/inflacionária junto aos comandantes...

24/01/2020

1/10
Please reload

Últimas Notícias