Reforma da previdência foi tema de debate no XV Fórum de Segurança Pública


A reforma da previdência e os seus impactos sociais foi um assunto tratado durante o XV Fórum de Segurança Pública que acontece em Fortaleza (CE), no qual o presidente e o diretor social e cultural da ABERSSESC, subtenentes Flávio Hamann e Edison Linhares Júnior participam. O debate foi mediado pelo deputado federal cabo Flávio Alves Sabino (PR-CE).


Já no início de sua fala o deputado federal afirmou que a reforma, que está sendo discutida atualmente no Congresso Nacional, não atinge os militares. Isso só foi possível depois que a bancada composta por militares de todo o Brasil discutiu e apresentou pontos que os diferem de outros servidores públicos e de outros trabalhadores brasileiros. Futuramente haverá um projeto de lei complementar que tratará a reforma da previdência para os militares.


Entre os impactos sociais que esta reforma trará para a população ele alertou que na verdade está sendo discutida uma regra geral e igual para um País totalmente desigual com impactos sociais jamais vistos; tais como: aumento da contribuição por pessoas com alguma deficiência e de agricultores. Para ele, agricultores do Sul do Brasil, local onde temos uma maior regularidade de clima, são totalmente diferentes de agricultores nordestinos, onde a seca predomina na maior parte do ano. “Esta reforma impactará a vida de todos os brasileiros. Se todos soubessem o que é esta reforma da previdência, o Brasil inteiro pararia e sairia às ruas”, afirmou.


Sabino disse ainda que precisaria haver uma auditoria nas contas da previdência para saber onde foi parar todo esse dinheiro. Ele apresentou dados alarmantes: as empresas brasileiras devem 468 bilhões para a previdência. São recursos não cobrados e que causam esse déficit. Disse, também, que esta é a sétima reforma da previdência em apenas 24 anos e que todos os governos tiraram e tiram dinheiro da previdência para a construção de obras públicas, como, por exemplo, a ponte Rio-Niterói.


“Votarei contra a reforma e conclama a todos os diretores e representantes de associações aqui presentes que liguem para seus deputados federais pedindo para votar contra a reforma, pois mais uma vez, é o contribuinte que vai pagar a conta relativa a desvios, déficit de empresas e má administração do dinheiro público”, finalizou.


Para o presidente da ABERSSESC, subtenente Flávio Hamann, a reforma da previdência é um assunto atual e que precisa ser discutido. "A luta é de todos. Os militares foram retirados desta atual reforma depois de uma luta incansável da categoria. Todos nós, brasileiros, devemos lutar por nossos direitos", disse.


Foto: Divulgação/ABERSSESC


Destaques
Últimas Notícias
Arquivo
Procurar por assunto
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Siga