Presidente e vice-presidente da ABERSSESC discutem temas relevantes aos militares no Acre

1/11

 

 

Com o objetivo de debater diversos temas relevantes para a Segurança Pública nos Estados, o trabalho policial e o tipo de polícia que a sociedade brasileira deseja aconteceu nos dias 10 e 11 de novembro, em Rio Branco – Acre - o XIV Fórum Nacional das Entidades Representativas dos Policiais, Bombeiros e Pensionistas Militares do Brasil. O presidente e o vice-presidente da ABERSSESC, subtenentes Flávio Hamann e Cléber de Paulo Irmão participaram do evento, que contou ainda com a presença dos deputados federais major Wherles Fernandes da Rocha (PSDB/AC); subtenente Luiz Gonzaga Ribeiro (PDT/MG) e cabo Flávio Alves Sabino (PR/CE), além de representantes de diversas entidades brasileiras que representam policiais, bombeiros e pensionistas.

 

O tenente-coronel Luciano Dias Fonseca, chefe da Assessoria de Inteligência e Assessoria Jurídica da PMAC, em sua palestra, relatou sobre a importância do ciclo completo de polícia. Para ele, quando o policial militar consegue realizar todos os trâmites de uma ocorrência gera uma economia de pessoal e financeira para o Estado. Em Santa Catarina, o termo circunstanciado, aplicado pelo policial militar em infrações de menor potencial ofensivo gerou 20.494 termos circunstanciados referentes a 117 tipos de infrações. Dias relatou ainda que os benefícios já adquiridos no Estado catarinense são inúmeros, tais como: Diminuição da violência policial pela disponibilidade de autoridade própria para enfrentar os problemas; qualificação dos atendimentos policiais, seja pela rapidez na resposta da Justiça, seja pela qualidade do atendimento; diminuição drástica do número de atendimento de pequenas ocorrências repetitivas que eram alimentadas pela impunidade; suporte ao exercício da polícia administrativa (interdição temporária e cautelar de atividades de risco de quebra da ordem pública); autonomia operacional em relação a Polícia Civil; controle externo do Ministério Público na PM. “Quanto menos tempo a polícia fica envolvida no atendimento a uma ocorrência, mais tempo terá disponível para atuar como agente preventivo, por isso o ciclo completo de polícia é tão importante e deve ser adotado em todo o território brasileiro”, finalizou.

 

Outro tema debatido no encontro foi sobre a unificação das policias e o acesso único na carreira. Para o presidente da ABERSSESC, subtenente Flávio Hamann, é preciso realizar um estudo completo para ver se é viável a unificação das policias. “Eu tenho dúvidas se estamos preparados para este unificação. Não sei se é o momento de pensarmos em uma única carreira”, afirmou.

 

Quanto ao acesso único na carreira militar, a ABERSSESC acredita que este é o caminho no futuro. “Hoje todos os policiais e bombeiros militares, sejam para ingressar como oficiais ou praças devem ter nível superior. Seria ótimo para a valorização do profissional e até mesmo para a sociedade esta progressão de carreira”, disse Hamann.

 

Fotos: Divulgação/ABERSSESC

Please reload

Destaques

Representantes de oito entidades representativas dos militares estaduais buscam soluções para a reposição salarial/inflacionária junto aos comandantes...

24/01/2020

1/10
Please reload

Últimas Notícias