Buscar
  • Rafaela Dornbusch - MTB/SC - 2630

Operação Mãos Dadas é pioneiro em SC e está mudando a realidade de crianças do Morro do Mocotó em Fl


Com o objetivo de aproximar a comunidade da Polícia Militar, combater o tráfico de drogas e a pacificação um projeto pioneiro vem sendo realizado pela PM em Santa Catarina: a operação mãos dadas. O projeto já é realidade em duas comunidades de Florianópolis: Morro do Mocotó, no Centro e na Vila União, no norte da Ilha.

Os soldados Renato e Ubiratam são os responsáveis por toda a logística de aproximação da PM com a comunidade. São eles que estão à frente do projeto no Morro do Mocotó e com o apoio da Prefeitura de Florianópolis a reforma do salão de festas que irá funcionar como uma creche já é realidade na comunidade. Além desta obra, também foi realizada uma campanha “De Mãos Dadas com a Leitura”, na qual foram arrecadados mais de 600 livros em bom estado e é realizado periodicamente o fechamento da rua Silva Jardim para que as crianças do local possam ter uma manhã de lazer com bicicletas, carrinhos de rolimã, patinetes, além de poder comer pipoca e algodão doce.

Os soldados já proporcionaram a cerca de 90 crianças da creche do Morro da Queimada para passeios na sede da Polícia Militar Ambiental, localizada no Rio Vermelho, além de estarem sempre presentes na creche. Outro projeto que merece destaque é o Projeto da Escola Cívico Militar no Colégio Jurema Cavallazzi – no Morro da Queimada, que engloba aproximadamente 50 crianças. Além de um policial militar estar dando aula de capoeira na escola, aulas de música com policiais integrantes da Banda de Música da PM também estão acontecendo.

“É notório o resultado e avanço que esse projeto vem trazendo para comunidade. Outros órgãos públicos também estão trabalhando mais facilmente no local. Percebo que a população se sente mais segura e mais confiante na PM por tê-la tão próximo de suas casas diariamente. Proporcionar lazer e mostrar às crianças que os policiais militares são amigos e estão sempre dispostos a ajudar no que quer que seja não tem preço”, disse o soldado Renato, que completou: “ver que que crianças que antes temiam a PM e hoje nos abraçam, nos agradecem e dizem que um dia também querem ser policiais militares é extremamente revigorante e gratificante e nos dá a certeza que o trabalho está sendo levado com muito amor e eficiência. Esperamos que com esse projeto na escola e no morro, as crianças comecem a ter uma noção da importância do cívico, da pátria, dos valores que devemos ter por nossos símbolos e solo, da importância de respeitar os pais, professores e as pessoas. Mas, desejamos mesmo que a nossa presença seja uma forma de mostrar que também somos uma opção de oportunidade e que elas podem ter sim uma vida que não seja ligado a drogas e a marginalidade”, finalizou emocionado.

A “Operação Mãos Dadas”, acontece ainda somente em dois locais da cidade (Norte da Ilha e Centro) e no momento está restrito apenas ao Morro do Mocotó e Vila União.

Fotos: Divulgação/4ºBPM e Arquivo Pessoal


0 visualização