Buscar
  • Rafaela Dornbusch - MTB/SC - 2630

Conscientização política é um dos temas debatidos no XVII Fórum Nacional de Entidades Representativa


Durante o XVII Fórum Nacional de Entidades Representativas de Militares que aconteceu em Salvador – Bahia, no qual participaram o presidente e vice-presidente da ABERSSESC, subtenentes Flavio Hamann e Cléber de Paulo Irmão, respectivamente, muitos assuntos de relevância dos militares estaduais foram debatidos. A maior discussão gerou em torno de política. Em ano de eleição, muito se discutiu qual o papel dos militares e a desunião que há em não eleger um representante que defenda os interesses os policiais e bombeiros militares.

O deputado federal major Wherles Fernandes da Rocha (PSDB/AC), especialista em Direito Militar, foi um dos palestrantes sobre este assunto.

Para o parlamentar, é necessário que haja uma maior conscientização política dos militares, pois, a atual bancada de deputados que existe na Câmara dos Deputados – atualmente são sete deputados federais oriundos de carreira militar -, precisa ser dobrada para que os interesses dos militares sejam realmente defendidos e tenham avanços. “Temos pautas importantes para as próximas eleições e por esse motivo precisamos fomentar essa conscientização política nos militares para que possamos lá na frente, conquistar avanços significativos para eles e para o país também”, disse.

Continuando sobre este tema, o presidente do PPL/Goiás, coronel João Batista de Oliveira, abordou a importância da Estruturação de Partidos Políticos no Âmbito Militar que segundo ele uma associação estadual sem uma representatividade nacional é como um filho sem pai citando exemplo da ANERMB que agrega entidades de todo o país e que contribui para o fortalecimento das suas lutas.

Santa Catarina, por sua vez, está na contramão de muitos outros Estados. Enquanto muitos se unem para eleger ao menos um candidato – em qualquer cargo ou nível (Federal e Estadual), Santa Catarina acaba por ter vários candidatos tornando quase inviável eleger um único, já que os votos se dividem.

“O assunto precisa ser ampliado. É necessário que se discuta nos quarteis e nas entidades de classe, principalmente em Santa Catarina a conscientização política. Todos devem se unir e se apoiar. Precisamos que cada Estado e cada Corporação se conscientizem da necessidade de termos defensores da nossa categoria, bem como mostrar a sociedade que é importante ter representantes que tratem e se preocupem diretamente com a segurança pública. Categoria valorizada é sinal de mais qualidade no atendimento a população”, afirmou o presidente da ABERSSESC, subtenente Flavio Hamann.

Fotos: Divulgação/ABERSSESC


8 visualizações